quarta-feira, 1 de março de 2017

Poeira cósmica

Eu fico horas olhando para o céu,
Eu vejo as formas que as nuvens tomam, algumas macabras e outras inocentes...
Eu fico olhando para o céu e vejo pingos caindo, mas não são pingos de chuva, são pingos leves e finos, parecem algodão desfiado e imagino que isso seja morte em forma de gota caindo do céu, e que a cada vez que respiramos essas gotas morremos mais.
Eu olho para o céu e imagino qual é o motivo de estarmos aqui,  e é como se fossemos poeira esquecida no meio do universo, sem atenção, sem função de nada, sem motivos, apenas bactérias maléficas do corpo celeste...
Eu olho para o céu e vejo ele se abrindo, como se ele me chamasse para sempre... Vem... vem...
E não tem mais volta...
Acorda! Acabou!
Você está livre de você mesmo, tudo não passou de um teste! Uma tortura para ver se você era fiel a mim...
Acorda! Sou eu o deus Tempo...

Um comentário: